As causas vão desde a má higienização até o hábito de respirar pela boca

Pequeno com bafinho? Sim, crianças também podem desenvolver mau hálito. Como nos maiores, a origem do problema pode estar na má-higienização da boca; mas outros fatores, como respirar pela boca, podem causar a halitose.

Como nos maiores, a origem do problema pode estar na má-higienização da boca. Foto: ThinkstockO mau hálito é muito comum em crianças pequenas e até mesmo bebês. Foto: iStockEm bebê, o problema é proveniente do 'sapinho', aquelas feridas que aparecem no canto da boca em razão da falta de escovação. Foto: iStockA falta da higienização da língua também causa a halitose. Foto: iStockChupeta que não é higienizada constantemente também pode causar halitose. Foto: iStockCáries também acometem os dentes de leite, principalmente os do fundo que costumam ser mais negligenciados durante a escovação. Foto: ThinkstockO tratamento para que a criança volte a ter o hálito fresco é foco na higienização: "É preciso passar o fio dental, escovar os dentes e a língua. Foto: iStockMau hálito também está relacionado à respiração bucal em crianças. É comum no período em que há a troca de dentes de leite. Foto: iStock

Segundo Marisa Helena de Carvalho (CRO-SP: 37299), cirurgiã-dentista e presidente Instituto Sorrir para  Vida, o mau hálito é muito comum em crianças pequenas e até mesmo bebês: "Em bebê, o problema é proveniente do 'sapinho' [estomatite], aquelas feridas que aparecem no canto da boca em razão da falta de escovação. Eu oriento muito as mães para reforça a importância da limpeza da mucosa, com a dedeira ou com uma gaze ou pano umedecido com água".

A falta da higienização da língua também causa a halitose. "O leite, mesmo materno, fermenta e fica grudado na mucosa e na língua, devido às papilas gustativas. A criança então fica com a saburra: língua esbranquiçada é língua suja; a língua limpa é rosadinha", alerta Marisa Helena. Chupeta que não é higienizada constantemente também pode causar halitose.

Cáries também acometem os dentes de leite, principalmente os do fundo que costumam ser mais negligenciados durante a escovação.  Fontes menos comuns do mau hálito infantil, são problemas estomacais, o consumo constante de alimentos de sabor muito forte como alho e cebola, casos de amígdalas inflamadas e sinusite. 

O tratamento para que a criança volte a ter o hálito fresco é foco na higienização: "É preciso passar o fio dental, escovar os dentes e a língua. Isso é importante porque cria o hábito. Deixa a criança tentar escovar. Pode dar pasta também", recomenda Marisa Helena. Se com a situação persistir, um dentista poderá apontar o diagnóstico correto e o respectivo tratamento.

Pesquisa associa mau hálito infantil à respiração bucal - Giancarlo Zanoli Trentim (CRO-SP: 99872), cirurgião-dentista, realizou um estudo publicado pela Faculdade de Medicina da USP que atesta que o mau hálito também está relacionado à respiração bucal em crianças. A maior prevalência desse quadro ocorre no período em que há a troca de dentes de leite pelos permanentes. "Os dentes permanentes são muito maiores do que os dentes de leite e durante a fase de transição a criança tende a manter a boca aberta porque os dentes são maiores do que a boca dela. A gente chama essa fase de "patinho feio ", explica ele.

Ao respirar pela boca, ocorre a hipossalivação, ou seja, cai a quantidade de saliva produzida pelo organismo, o que favorece o aumento das bactérias "porphyronomas gengivalis", que causam a gengivite e o mau hálito.  "A importância desse estudo foi demonstrar que é importante acompanhar os casos de respiração bucal nessa fase porque algumas crianças podem apresentar essa condição além do que seria considerado normal", aponta Giancarlo. Nesses casos, o tratamento é feito por meio do uso de aparelho ortondôntico para orientar o crescimento facial e, se preciso, encaminhamento para o otorrino.