Sinais de que a gengiva não está saudável

Por Elioenai Paes - iG São Paulo

compartilhe

Tamanho do texto

Sangramento é o principal indicativo de que algo está errado; veja também doenças que podem atingir a gengiva e fique atento aos cuidados recomendados por especialistas

Além do desconforto que se sente com uma gengiva doente, outras condições mais sérias podem aparecer
iStock
Além do desconforto que se sente com uma gengiva doente, outras condições mais sérias podem aparecer

Além de visitas regulares ao dentista, de seis em seis meses, é preciso investir também em cuidados diários com toda a boca. A gengiva, por exemplo, é capaz de sinalizar se há algum problema local ou mesmo uma doença mais séria, que pode atingir o corpo todo. O sinal mais evidente de que algo está errado, explicam especialistas, é o sangramento fácil ao escovar os dentes, passar fio dental ou até apenas tocar o local.

Uma gengiva saudável, explica o cirurgião bucomaxilofacial, José Flávio Torezan, é rósea e tem uma textura firme. Quando ela incha, fica mais avermelhada do que o padrão e sangra ao toque da escova ou do fio dental é preciso ficar atento e procurar um dentista porque tem algo de errado acontecendo.

Gengitive

Além do desconforto que se sente com uma gengiva doente, outras condições mais sérias podem aparecer. O cirurgião-dentista Alberto dos Reis Conde Junior explica que a maior causa dos sangramentos é a gengivite. Por sua vez, a principal responsável pela gengivite é a má higiene bucal.

“A gengivite é causada por uma placa bacteriana que, quando não removida, causa uma inflamação na gengiva. Ela incha na tentativa de combater a presença da placa, mas é inútil”, explica.

Quando essa placa não é removida, pode se calcificar. “Pode virar uma cárie ou um tártaro”, explica Alberto, que também é especialista em ortodontia. Ele ainda alerta: “Só o dentista consegue remover o tártaro, pois é preciso usar um instrumento adequado”.

>> LEIA TAMBÉM: 10 doenças que podem dar os primeiros sinais na boca

Pericardite: a estomatologista Cíntia Maria Remondes explica que as bactérias que ficam na boca podem até mesmo causar uma infecção no coração. Foto: iStockSapinho: doença forma membranas esbranquiçadas que podem se assemelhar a pequenas feridas. Foto: iStockCâncer de boca: “Normalmente, o sinal é quando uma ferida não cicatriza em até 15 dias”, diz Cíntia Maria. Foto: iStockLeucemia: leucemia se manifesta por lesões ulcerativas e por áreas necrosadas. Foto: iStockDoenças autoimunes: “Podem aparecer lesões ulcerativas na boca, feridas abertas que doem e incomodam”, explica médica. Foto: iStockSífilis: doença pode dar primeiro sinal através de tumor na boca com ferida aberta que demora para cicatrizar. Foto: iStockRefluxo gastroesofágico: além da falta de escovação dos dentes, da língua e da presença de cáries, o mau hálito pode indicar que a pessoa está com refluxo gastroesofágico. Foto: iStockAnemia: língua fica com aspecto ‘careca’, lisa e brilhante. Muitas vezes, apresenta quadro de secura. Foto: iStockCâncer infantil (linfoma de Burkitt): esse tumor pode ficar tão grande que impede que a criança feche a boca. Normalmente se manifesta na região da gengiva, no fundo da boca, na parte de baixo. Foto: iStockHPV: pode aparecer pequenas verrugas ou apenas uma só na boca. Quadro pode evoluir para um câncer. Foto: iStock



Conde Junior ressalta que a gengivite dificilmente vai doer. “É uma doença silenciosa, que causa mau hálito, sangramento e mudança na cor da gengiva”, diz. “Não espere doer. Se isso acontecer, já poderemos estar falando da periodontite, que afeta o osso e a raiz dos dentes”, explica.

Periodontite

Quando não tratada, a evolução da gengivite é a periodontite. “Ela atinge o osso que suporta os dentes. Isso pode causar mobilidade dos dentes e a separação deles”, alerta José Flávio.

Conde Junior diz que, com o osso atingido, o dente fica mole e pode cair. “É uma doença comum, e também silenciosa. Quando a pessoa nota costuma ser tarde demais, Por isso é importante ir ao dentista com regularidade”, recomenda.

Veja ainda: Pessoas que sentem medo de dentista têm mais problemas de saúde bucal

Como a periodontite atinge o osso, a pessoa que perdeu o dente por causa dela pode ter o mesmo problema ao colocar um implante. “Quando alguém perde o dente, é necessário que se conscientize da causa. A doença não quer saber se é dente ou implante. Se não cuidar da limpeza e colocar uma prótese, vai dar o mesmo problema”, diz Conde Junior.

Retração

Além de doenças, a gengiva também pode sofrer retração por causa da escovação muito forte e da má higiene bucal. “Existem também retrações causadas pela gengivite, periodontite ou trauma dentário, que é quando dentes tocam errado um ao outro na hora da mordida”, diz Torezan.

Essa retração expõe a dentina, que é uma parte sensível dos dentes, e causa dores com frio, quente, ácido ou doce. “Na maior parte das vezes, é apenas um problema estético. Mas quando expõe a raiz do dente, causa sensibilidade até ao ar da respiração”, explica o cirurgião bucomaxilofacial.

O ideal é cuidar da higiene da boca e escovar os dentes com cuidado, com uma escova macia. “Existe um tratamento cirúrgico para recobrir a raiz exposta, mas é bem delicado e não é barato”, alerta Torezan.

Continue lendo:
Conheça os tratamentos estéticos odontológicos favoritos dos famosos
Saiba quais alimentos ajudam a prevenir cáries

Leia tudo sobre: saúde bucalgengivadoençascuidadosperiodontitegengivite

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas