Pacientes com obesidade são mais propensos a problemas como cárie e doença periodontal; os cuidados extra são os mesmos de pessoas que usam aparelho

Nos últimos dez anos a obesidade no Brasil passou de 11,8%, para 18,9% da população. A obesidade está associada a maus hábitos alimentares que podem acarretar a diminuição do fluxo salivar, cárie, doença periodontal, entre outros. Espantar esses riscos é fácil, basta foco no capricho com a higienização e pode sorrir à vontade.

Sorriso
Thinkstock/Getty Images
Sorriso

É considerada obesa a pessoa que possui IMC (Índice de Massa Corporal) acima de 30 – o IMC é calculado por uma fórmula matemática que considera o peso e a altura da pessoa, sendo  o resultado ideal entre 18,5 e 24,9.

Segundo Thales Wilson Cardoso (CRO-SP: 98 196), dentista especialista em harmonização facial do Instituto Thales Cardoso de Odontologia, a pessoa obesa tende a comer alimentos ricos em carboidratos e açúcar : "Quem faz uma dieta muito calórica, com muito fast-food em pouco tempo está com fome novamente por causa dos carboidratos e açúcares de rápida absorção (baixo índice glicêmico).  A preocupação com açúcar, por exemplo, já se faz sentir na indústria de alimentos, que tem reduzido a quantidade desse produto principalmente nas bebidas".

O hábito de comer várias vezes ao dia, praticado por uma boa parte dos obesos, torna o ambiente bucal constantemente ácido, o que é prejudicial para os dentes.

Pacientes com obesidade devem ter atenção extra com a saúde bucal

Se emagrecer é um processo complexo, melhorar a qualidade da saúde bucal é mais simples: "Esse público precisa ter mais atenção: a pessoa não pode falhar com as três escovações diárias, antes de dormir e acordar tem que escovar e após alimentar-se, sempre que possível faça a higienização da boca. O paciente obeso é como aquele que usa aparelho - com pouco descuido, já surge cárie e erosão dentária", analisa o especialista.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.