O diastema pode ser o charme do seu sorriso ou pode ser fechado para um sorriso mais tradicional – a decisão deve considerar a qualidade de vida

Famosos  mostram que o diastema, como é chamado o espaço entre os dentes, pode dar um charme a mais ao sorriso. Alguns casos, porém, podem requerer análise do dentista para evitar impactos na saúde.

Leia também: Veja quais são os alimentos que ajudam a fortalecer os dentes

Crianças costumam ostentar o diastema entre a maioria dos dentes de leite porque a arcada já prevê um espaço maior para acomodar os dentes permanentes. “Quando começa a erupcionar os dentes permanentes, é comum manter o diastema nos dentes anteriores – quando nascem os caninos que são mais volumosos é possível que haja o fechamento do diastema durante a fase de dentição mista [quando ainda há tanto dentes de leite quanto permanentes]”, comenta Rose Helena Bourboun (CRO-SP: 76.501), dentista da clínica Hope.

Quando o diastema continua após a fase de troca de dentição, as causas têm origem na miscigenação racial devido às características craniofaciais diferentes de cada etnia, segundo Rose.

Leia também: Como a deficiência de cálcio e de vitamina D pode afetar seus dentes

Há ainda casos em que o diastema na criança ou no adolescente é causado pelo “freio lingual”, um “tecido fibroso, muito duro e muito denso, que se posiciona entre os dentes da frente e vai até as papilas”, explica a dentista.

“A questão do diastema superior é mais estética, mas, dependendo do tamanho do diastema pode ter prejuízo na fala quando ocorrem sopros ou bolhas de saliva [que atrapalham a dicção]. A oclusão também pode ser afetada se o vão for muito grande, isso ocorre quando há a apinhamento nos dentes do fundo e sobra [espaço] entre os dentes da frente”, analisa Rose.

Dá pra fechar o diastema?

É possível diminuir ou até fechar o diastema, mas o dentista precisa avaliar caso a caso para desenvolver uma estratégia adequada tanto do ponto de vista da saúde quanto da estética.

Rose comenta que a tendência hoje é tentar preservar ao máximo os dentes, evitando desgastes ou intervenções desnecessárias. Para isso, o especialista irá avaliar a musculatura bucal, como ela repousa sobre os dentes, se a diminuição o arco irá prejudicar o efeito da boca, entre outros pontos.

Leia também: 10 doenças que podem dar os primeiros sinais na boca

“Dependendo do caso, prefiro usar aparelhos. Se os dentes são pequenos, prefiro usar alinhadores para fazer pequenas movimentações. Há o aparelho estético de porcelana, que é autoligado e dispensa as borrachinhas – é mais higiênico e tem um efeito mais rápido. E o tradicional aparelho metálico é bastante eficiente e pode dispensar as borrachinhas”, analisa Rose.

Uma alternativa é o uso de facetas de porcelana ou o fechamento com resinas, que podem ser cimentadas no local. “Elas revestem os dentes e o resultado fica bonito para o resto da vida e não diminui o arco [que sustenta o lábio]  garantindo uma aparência mais jovem. Para os adultos, podemos indicar o laminado de cerâmica para fechar o diastema”, complementa a dentista.

Nos casos de freio lingual, o diastema pode ser corrigido quando há a remoção dele por meio de procedimento cirúrgico na adolescência e fechamento do vão naturalmente ou por meio de aparelho ortodôntico.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.