Higiene Oral Básica
enhanced by Google
 

Veja como usar corretamente o enxaguante bucal

Produto não substitui escovação e o fio dental, mas é importante aliado na higiene bucal

Aline Viana - especial para o iG |

O uso da escova e do fio dental são os elementos fundamentais para uma perfeita saúde bucal. Mas o enxaguante bucal, no entanto, também pode contribuir bastante na higienização da boca.

Parte do benefício já está no ato de bochechar: “Se você se alimentou rapidamente fora de casa e não tem escova, fio dental ou enxaguatório, fazer um bochecho com água já auxilia na eliminação do biofilme, que é uma película que se forma após algum tempo da alimentação e que vai formar a placa bacteriana”, explica André Passarelli Neto (CRO 33581), coordenador do curso de Odontologia do Complexo Educacional FMU.

O enxaguante bucal pode contribuir bastante na higienização da boca
iStock
O enxaguante bucal pode contribuir bastante na higienização da boca


O uso do produto pode ser feito diariamente, de uma a duas vezes por dia. “Eu geralmente recomendo o uso após as principais refeições, depois da higienização com o fio dental. O enxaguante, depois da escovação, ajuda a formar uma espécie de barreira para que o biofilme demore mais para aderir ao dente, pois diminui a formação de micro-organismos que vivem na boca”, esclarece André. 

O mau hálito característico do acordar ocorre justamente devido à multiplicação desses micro-organismos. Tally Karlik (CRO 81.198), cirurgiã-dentista da Clínica Orel, especialista em odontologia estética, implantodontia e endodontia, sugere o uso noturno do enxaguante.

 “Recomendo apenas uma vez ao dia, na última escovação, antes de dormir e sempre após a escovação e o uso do fio dental. E o tempo do bochecho não deve ultrapassar trinta segundos.”

Porém, é importante destacar que atuação do enxaguante como ferramenta contra o mau hálito é limitada: ele afasta o problema por um curto período, sem combater as causas. O mau hálito ou halitose, pode ter origem em doenças bucais ou problemas estomacais, sendo a cura garantida apenas com o diagnóstico correto do dentista.

Recomendação do dentista

O profissional de odontologia também deve ser consultado sobre a adoção diária do exanguatório. “Algumas lesões na boca podem evoluir e formar úlceras ou nunca cicatrizar. O dentista precisa identificar a doença que causa essas lesões para só então recomendar um enxaguante adequado”, explica André. Segundo o professor, o uso de produtos com álcool nessas circunstâncias pode aumentar a ferida, o processo infeccioso ou tumoral que houver.

Veja na galeria os alimentos que ajudam a clarear os dentes: 

Alguns alimentos possuem elementos que ajudam a clarear os dentes. A maçã e a pera são frutas que combinam ferro e cálcio, substâncias que uma vez juntas protegem o esmalte do dente. Foto: iStockO brócolis e a cenoura possuem a mesma combinação de elementos. Porém, para usufruir de todo potencial desses vegetais e frutas, eles devem ser consumidos crus ou cozidos al dente. Foto: iStockIsso acontece porque esta consistência estimula a salivação, mecanismo que promove uma limpeza química natural da boca. O mesmo vale para o rabanete . Foto: iStockO repolho também está nesta categoria de alimentos que protegem o esmalte do dente . Foto: iStockAssim como o pepino, que como já foi dito, é melhor que seja consumido cru . Foto: iStockEncerrando a lista de alimentos que combinam ferro e cálcio na proteção do esmalte temos o espinafre . Foto: iStockFrutas e vegetais com altos índices de vitamina C ajudam a proteger a gengiva, evitando sangramentos, por exemplo. O morango ganha destaque nesse grupo por possuir o ácido málico, substância que tem alto poder adstringente ajuda a evitar manchas nos dentes. Foto: iStockA bromelina, presente na fruta in natura, atua como um removedor natural de manchas. Foto: iStockAs uvas passas ajudam a prevenir doenças periodontais e as cáries por aumentar o fluxo salivar, além de remover resíduos de pigmentação deixados por outros alimentos.Prefira os tipos sem sementes. Foto: iStockA castanha-do-Pará, as demais castanhas e as nozes possuem óleos que ajudam a formar uma película que dificulta a fixação da placa bacteriana e com isso dificulta a pigmentação do esmalte dos dentes. Foto: iStockLeite e derivados são pródigos em proteínas, cálcio, fósforo e ácido láticos. Essas substâncias ajudam a fortalecer e remineralizar o esmalte dos dentes. Foto: iStockO parmesão é rico em caseína, uma substância que ajuda na reparação do esmalte, junto com o cálcio e fósforo, também presentes nesse queijo. Foto: iStockO gengibre é um forte aliado da saúde bucal e dos dentes impecáveis por possuir um poderoso efeito anti-inflamatório. Também ajuda a evitar a pigmentação do esmalte. Foto: iStockAs sementes de gergelim contêm níveis elevados de cálcio, que ajuda a fortalecer os dentes. Foto: iStock


“Existem vários tipos de enxaguante, com substâncias diversas. Muitas delas podem manchar os dentes porque o enxaguatório altera o pH da saliva, deixando ela um pouco mais ácida e, por consequência, os dentes mais amarelos. Já enxaguantes com álcool na sua formulação ressecam a mucosa da boca, causando a saburra lingual, efeito que pode provocar mau hálito em pessoas com tendência a ter a boca seca, por tudo isso a indicação do dentista é necessária”, acrescenta Tally.

André recomenda que a criança não faça uso de enxaguatórios até a fase da troca dos dentes de leite por permanentes “Enquanto a criança não entende para quê serve o produto e houver o risco de engolir, a gente não recomenda”, explica André. Já Tally observa que há versões infantis do produto, mais diluídas e sem adição de flúor, que podem ser usadas pelos pequenos sob a supervisão de um adulto para evitar a ingestão do produto.

Leia tudo sobre: enxaguante bucalhigiene bucalsaúde bucalenxaguante

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG